4/5/2018 a 7/5/2018 Palco RUC na Queima das Fitas de Coimbra

A Rádio Universidade de Coimbra (RUC) volta a marcar presença na Queima das Fitas de Coimbra. Depois da passagem de nomes como Mykki Blanco, Black Bombaim, R Steevie More ou El Guincho, entre muitos outros em edições anteriores, a RUC assume, de 4 a 7 de maio, a curadoria do palco secundário, oferecendo uma nova fornada de nomes para descobrir.

cardapio.pt @ 16-4-2018 15:24:54

O destaque de 2018 vai para as estreias em território nacional do duo nova-iorquino Oshun, que vem apresentar o seu álbum "Bittersweet vol. 1", e do irlandês Iglooghost que traz "Neo Wax Bloom", o seu primeiro longa duração.

Mas não é tudo, claro. Assegurado está ainda o afro-baile dos CelesteMariposa, o rock experimental dos NU, o footwork do DJ Paypal, o funaná de pancada de Scúru Fitchádu, a pop psicadélica de Iguana Garcia e a destruição de fronteiras sonoras dos aclamados Ermo.

Outra forte aposta é a de um cartaz de electrónica com fortes nomes femininos onde constam nomes Nídia, a australiana Zanias ou Cindy Looper,

O Palco RUC encerra no dia 7 de Maio com Powell, co-fundador da Diagonal, uma das editoras mais interessantes do universo do techno que promete apresentar um alinhamento rave-y, pesado e energético para dançar na margem do Mondego até ao amanhecer. A juntar aos nomes confirmados, assegurada está também a habitual presença dos djs RUC.

No que diz respeito a outras novidades, o palco terá uma nova posição no recinto da Queima das Fitas com uma zona de descanso.

Serão 4 dias com diversas propostas que mostram a vitalidade da música que está a acontecer, em Portugal e não só, mas acima de tudo que mostram a vitalidade de uma mais emblemáticas e profícuas rádios nacionais. Em 107.9FM Coimbra, nada se cataloga.

Programação

4 de maio

DJ Paypal

Nascido na Carolina do Norte, EUA, mas a residir actualmente em Berlim, DJ Paypal é um arquitecto sónico a olhar para o futuro da pista de dança e (mais) um filho da Internet, um espaço onde escontrou DJ Rashad, DJ Spinn e o resto da crew Teklife, os porta-estandartes do footwork, género onde o ritmo é rei desordeiro e incoveniente. Publicações como a Fadar ou a Pitchfork descreveram a sua música como "the disco of the future" ou "footwork of the absurd", classificativos que tentam sublinhar a peculiariedade da música do produtor (Rimas e Batidas). 

Scúru Flitchádu

Uma encruzilhada de linhas de baixo distorcidas, baterias aceleradas, noise e concertina/ferro. Um caminho ainda não pisado, com as novas linguagens a fazerem uma visita à tradição do funaná caboverdiano sem qualquer pudor numa carruagem de furiosa estética punk. O resultado disto tudo é... complicado, distinto, invulgar e sujo. Scúru Fitchádu é uma aventura a solo de Sette Sujidade, com influências directas da sonoridade de nomes como Tricky, Tom Waits ou Discharge. 

NU

Apontando como principais influências musicais bandas como Swans, Einstürzende Neubauten ou Mão Morta, além de todo o movimento surrealista e constructivismo russo, os NU vêm de Santo Tirso e definem-se como "uma banda de rock experimental com um trabalho multidisciplinar que funde na música elementos de outros media, como a literatura, o vídeo e a performance". O seu último EP é de 2016 e tem o nome de Sala de Operações nº338. 

5 de maio

Thandiwe e Niambi Sala são as Oshun e juntas fazem do seu hip hop uma forma de amor à raça humana e de dedicação ao empoderamento das mulheres, enquanto propagam a confiança e orgulho na sua cultura. Lançaram bittersweet vol. 1 no início de Abril e contam com a colaboração de Jorja Smith no tema My World. 


Ermo

Cinco anos depois de terem tocado no corredor da RUC, os Ermo regressam a Coimbra, já com dois discos entretanto lançados e um estatuto bem maior no panorama nacional. Projecto de António Costa e Bernardo Barbosa nascido em Braga, reconhecido pelo público e crítica. Uma oportunidade de assistir à performance de Lo-Fi Moda, considerado por várias publicações nacionais um dos melhores discos de 2017.

Iguana Garcia

"Espacial o suficiente para não tirar os pés da terra, mas cósmico demais para não voar", assim é definido o projecto a solo de João Garcia, após o fim dos The Kafkas. Virá a Coimbra apresentar o seu disco de estreia "Cabaret Aleatório", gravado, misturado e masterizado no HAUS por Fábio Jevelim e Makoto Yagyu.

6 de maio

Iglooghost

O jovem produtor tem criado um burburinho nas lides da electrónica, muito graças ao seu primeiro registo em formato EP - Chinese Nü Yr. O jovem irlandês, a exemplo dos adolescentes que hoje se dedicam à renovação da arquitectura da electrónica, começou a despontar nos salões de música virtuais com remisturas carregadas de beats multipadronizados provenientes do grime, hip hop e até do footwork (Rimas e Batidas). 

Nídia

Depois do seu primeiro EP ter acabo nas listas de melhores discos do ano da NPR e The Wire em 2015, Nídia deixou cair Minaj e lançou finalmente o seu álbum de estreia, "Nídia é Má, Nídia é Fudida". Partindo do kuduro, o seu trabalho já transcende as fronteiras da música de dança, tendo inclusive colaborado com a sueca Karin Dreijer na produção de "IDK About You", tema incluído no seu último trabalho como Fever Ray, Plunge. 

CelesteMariposa

O projecto de Wilson Vilares, apesar de lisboeta, ultrapassa fronteiras nacionais em direcção a toda a diáspora portuguesa, unindo sonoridades oriundas de Angola, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Moçambique, que vão desde o funaná ao merengue, passando pelo gumbé até ao socapé. Tudo com muita dança à mistura.

7 de maio


As suas últimas produções contaram com o selo da XL Recordings e são um misto da interpretação que o britânico faz da música techno, electro, ebm e industrial. Com passagens por algumas das casas mais emblemáticas da Europa (Berghain, Fabric ou Razzmatazz) e com actuações em alguns dos festivais mais relevantes da actualidade (Sonar, Nuits Sonores, Berlin Atonal, bem como passagem em Portugal pelo SemiBreve).

Zanias

Nascida na Austrália, criada no sudeste asiático e formada em Arqueologia em Londres, a artista canaliza a sua história de vida e interesses incomuns para música, que age como a sua própria análise experimental da mente. Colaboradora de Sid Lamar (membro dos Schwefelgelb) no projecto Keluar, fez também parte dos extintos Linea Aspera. Parte do colectivo berlinense Fleisch, construído por músicos e designers.  

Cindy Looper

Residente no lendário Golben Pudel, Cindy Looper já partilhou cabine com artistas como Helena Hauff, DJ Stingray, The Mover, Dopplereffekt, Legowelt, Paula Temple, entre muitos outros. É curadora da Erdogay, uma festa uqe aponta uma luz diferente à comunidade queer de Hamburgo, e co-fundadora do colectivo Data:base (dedicado à promoção de artistas mulheres de Hamburgo).

Informações

Datas: 4 a 7 de maio de 2018

Local: Coimbra

Mais informações: http://queimadasfitascoimbra.pt/views/tickets/

cardapio.pt @ 16-4-2018 15:24:54