17/6/2017 a 29/7/2017 Exposição "Por Amor À Pedra" de Carlos Rodrigues na DaVinci art gallery

A DaVinci art gallery, no Porto, apresenta uma nova exposição indicidual do escultor Carlos Rodrigues intitulada "Por Amor À Pedra". A exposição inaugura a 17 de junho e vai estar patemte até 29 de julho de 2017.

cardapio.pt @ 13-6-2017 16:21:57

Esta mostra relata a criatividade e inspiração que surge da experiência de trabalho com o mestre José Rodrigues.

Nascemos quase no mesmo ano. O Carlos em Angola e eu no Porto. Vivemos separados pelos 30 quilómetros que medeiam entre as nossas cidades. Mas ambas são banhadas pelo mesmo oceano, o qual nos viria a juntar e apresentar, nas ondas do mar da praia da Azurara. Ali cruzamos as nossas pranchas de bodyboard e demos início a uma amizade que já perdura por três décadas. Foi nos finais dos idos anos oitenta que conheci o berço e matriz do Carlos Rodrigues. Visitei a oficina de transformação de mármores de seu Pai, onde o Carlos brincou, infante e adolescente, desde cedo tratando “por tu” a pedra, o pó e a rebarbadora. Ali começou a gatinhar, criando peças em mármore, sem pretensão de serem esculturas. Mas a arte estava já lá. Por isso, “obrigado” pelos amigos, fez a primeira exposição em 1988 no Posto de Turismo de Vila do Conde. Comprei-lhe então quatro peças. Uma árvore, o ceio negro de uma mulher e duas meninas à janela. Volvidos quase trinta anos, guardo religiosamente essas peças em minha casa pois são o espelho fiel do seu estilo genial. “Sem escola”, percorreu largo caminho como autodidata. A sua ambição e amor à pedra obrigaram-no a frequentar os bancos e corredores da Cooperativa Artística Árvore, onde conheceu e trabalhou com o grande Mestre José Rodrigues. O tempo, a escola e o mestre ajudaram-no a desvendar os segredos que o mármore esconde e foi dominando as técnicas para contrariar a sua dureza. A sua arte e sensibilidade fizeram o resto, transformando enormes blocos de dura mármore em peças nobres, delicadas e vivas. Três vetores percorrem toda a sua obra, hoje espalhada em inúmeros monumentos e coleções particulares: as mulheres, as árvores e os anjos. As árvores são curvas, velhas ou novas, em flor, com frutos ou com aves. Todas elas são um hino à natureza, um canto à beleza. Os anjos são nus ou com mantos, voam, estão pousados ou ate caídos. Todos tem uma beleza delicada e emanam brilho forte de uma espiritualidade que só as mãos do Carlos eram capazes de tal milagre. As mulheres são meninas e moças, deitadas ou de pé, agachadas, à janela ou sentadas. São Eva, Afrodite ou Vénus. São as mulheres da vida do Carlos e de todos nós. Da toada da maceta a bater no cisel sai, das mãos de Carlos Rodrigues, verdadeira arte. As suas peças retratam a alma e o caracter do artista: honesto, sensível, trabalhador e humilde. O Carlos Rodrigues é um escultor de excepção e, acima de tudo, um Homem Bom.

Junho 2017
Nuno Cerejeira Namora
Advogado


"Árvore com Mocho" - Carlos Rodrigues

"Árvore com Mocho" - Carlos Rodrigues

cardapio.pt @ 13-6-2017 16:21:57


Clique aqui para ver mais sobre: DaVinci art gallery - Notícias / Eventos