19/12/2019 a 29/2/2020 Exposição "Subiu a construção como se fosse máquina" de Luísa Mota na Fundação Manuel António da Mota

A Fundação Manuel António da Mota, no Porto, vai acolher a exposição de obras inéditas da artista Luísa Mota, com curadoria de Luís de Sousa. A mostra inaugura no próximo dia 19 de dezembro e vai estar patente ao público até 29 de fevereiro de 2020, 

cardapio.pt @ 16-12-2019 18:04:42

A exposição de inéditos é uma homenagem a Manuel António da Mota, avô da artista, que é a figura principal da série de trabalhos que compõem a exposição.

Sob o nome “Subiu a construção como se fosse máquina”, a exposição resulta de um diálogo entre as obras da série “Dedicação ao Pai” da artista Luísa Mota, com o “Livro Terceiro Da Arte Edificatória: A Construção” de Leon Battista Alberti e a música poética de Chico Buarque (proveniente do seu trabalho “Construção”), para descreverem a vida e obra de Manuel António da Mota.

Em “Subiu a construção como se fosse máquina” Luísa Mota ilustra complexas composições antropomórficas articuladas com paisagens naturais e humanas, que sintetizam várias dimensões da construção. Pretende representar o legado de um homem, de uma família e em última instância da própria civilização. A dualidade aditiva e subtrativa do ato de construir, abre espaço à exploração de conceitos como a criação, acumulação e reformulação contínua.

As várias camadas de materiais e técnicas que a artista aplicou, são o registo documental da ação ao longo do tempo, que enquanto quarta dimensão permitiu com que a artista fizesse interpretações diferentes sobre o mesmo tema, em dois momentos separados por uma década. Inicialmente o trabalho centrou-se num processo de investigação e pesquisa intenso sobre o seu avô, retratando o papel central da família na sua vida, a vontade de conhecer novos mundos, que ajudou a construir, bem como a importância do trabalho como meio de prosseguir a realização do destino. No segundo momento, a artista aborda o tema numa perspetiva mais arqueológica. Os trabalhos realizados dez anos antes são entendidos como artefactos que servem de base à produção de novas obras. Estes são fragmentados, decalcados e cromatizados, como testemunho da história, que se repete e reinventa geração após geração.


Informações

Datas: 19 de dezembro de 2019 a 29 de fevereiro de 2020

Local: Fundação Manuel António da Mota, Porto

Horário: Segunda a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 18h

Entrada gratuita

cardapio.pt @ 16-12-2019 18:04:42


Clique aqui para ver mais sobre: Exposições