Luta Armada, Teatro Documental em cena de 4 a 14 de Abril

Espaço da CPBC - Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo

Luta Armada, nova criação da companhia Hotel Europa, tem estreia agendada para 4 de abril, no espaço da Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, em Lisboa, onde ficará em cena até dia 14 do mesmo mês, no âmbito do ciclo Abril Abriu, do Teatro Nacional D. Maria II.

cardapio.pt @ 27-3-2024 15:49:35

Uma criação de André Amálio e Tereza Havlíčková, Luta Armada continua a investigação da Hotel Europa sobre o passado recente de Portugal, analisando os projetos políticos que recorreram a ações violentas como forma de luta.

Um espetáculo de teatro documental multidisciplinar que reflete sobre as ações de grupos que atuaram antes e pós-revolução: os que viam na luta armada a única forma de acabar com o fascismo e o colonialismo português, como a LUAR, Brigadas Revolucionárias e ARA; os grupos de extrema-direita que ficaram conhecidos como rede bombista e que atuaram no período do PREC, entre 1974 e 1975, tais como o ELP, MDLP e o Movimento Maria da Fonte; os movimentos independentistas dos Açores e da Madeira, que optaram por ações violentas, como é o caso da FLA e da FLAMA; e ainda os que, pós-1980, como é o caso das FP-25, lutaram para repor o socialismo.

Luta Armada tem como ponto de partida uma extensa recolha de testemunhos de pessoas que militavam nestas organizações, assim como a pesquisa de documentos sobre as suas ações. A interpretação é de André Amálio, Mara Nunes, Mariana Sardinha, Maurícia Barreira-Neves, Mblango e Paulo Quedas, num espetáculo produzido pela Hotel Europa, com coprodução do Teatro Nacional D. Maria II, do FITEI e do Teatro Académico Gil Vicente.

Em cena no espaço da CPBC - Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, em Lisboa, de 4 a 14 de abril, Luta Armada é um dos primeiros espetáculos a serem apresentados no âmbito do ciclo Abril Abriu, uma iniciativa do Teatro Nacional D. Maria II composta por 18 espetáculos, lançamentos de livros e uma exposição, a decorrer em vários espaços da cidade, entre março e julho, em parceria com a Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril, a Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC.

No segundo semestre do ano, em setembro e outubro, o espetáculo integrará ainda a Rede Eunice Ageas, numa digressão nacional que passará por Faro (data a anunciar), Pombal (20 de setembro) e Paredes de Coura (11 de outubro).

Ficha Artística Luta Armada

Espaço da CPBC - Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo

 Uma criação de André Amálio e Tereza Havlíčková, Luta Armada continua a investigação da Hotel Europa sobre o passado recente de Portugal, analisando os projetos políticos que recorreram a ações violentas como forma de luta.

Um espetáculo de teatro documental multidisciplinar que reflete sobre as ações de grupos que atuaram antes e pós-revolução: os que viam na luta armada a única forma de acabar com o fascismo e o colonialismo português, como a LUAR, Brigadas Revolucionárias e ARA; os grupos de extrema-direita que ficaram conhecidos como rede bombista e que atuaram no período do PREC, entre 1974 e 1975, tais como o ELP, MDLP e o Movimento Maria da Fonte; os movimentos independentistas dos Açores e da Madeira, que optaram por ações violentas, como é o caso da FLA e da FLAMA; e ainda os que, pós-1980, como é o caso das FP-25, lutaram para repor o socialismo.

Luta Armada tem como ponto de partida uma extensa recolha de testemunhos de pessoas que militavam nestas organizações, assim como a pesquisa de documentos sobre as suas ações. A interpretação é de André Amálio, Mara Nunes, Mariana Sardinha, Maurícia Barreira-Neves, Mblango e Paulo Quedas, num espetáculo produzido pela Hotel Europa, com coprodução do Teatro Nacional D. Maria II, do FITEI e do Teatro Académico Gil Vicente.

Em cena no espaço da CPBC - Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, em Lisboa, de 4 a 14 de abril, Luta Armada é um dos primeiros espetáculos a serem apresentados no âmbito do ciclo Abril Abriu, uma iniciativa do Teatro Nacional D. Maria II composta por 18 espetáculos, lançamentos de livros e uma exposição, a decorrer em vários espaços da cidade, entre março e julho, em parceria com a Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril, a Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC.

No segundo semestre do ano, em setembro e outubro, o espetáculo integrará ainda a Rede Eunice Ageas, numa digressão nacional que passará por Faro (data a anunciar), Pombal (20 de setembro) e Paredes de Coura (11 de outubro).

Ficha Artística Luta Armada

Espaço da CPBC - Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo

criação André Amálio e Tereza Havlíčková

interpretação André Amálio, Mara Nunes, Mariana Sardinha, Maurícia Barreira-Neves, Mblango, Paulo Quedas

cenografia e figurinos Ana Paula Rocha

desenho de luz e direção técnica Pedro Guimarães

criação musical Edison Otero

assistência de encenação Biatriz Alves Ribeiro

assistência de cenografia e figurinos Ricardo Varela

design António Gomes

produção executiva Catarina Sobral, Ruana Carolina

comunicação Patrícia Cuan

produção Hotel Europa

coprodução Teatro Nacional D. Maria II, FITEI, Teatro Académico Gil Vicente

parceria Abril Abriu Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo

apoio a residência DeVIR CApacriação André Amálio e Tereza Havlíčková

interpretação André Amálio, Mara Nunes, Mariana Sardinha, Maurícia Barreira-Neves, Mblango, Paulo Quedas

cenografia e figurinos Ana Paula Rocha

desenho de luz e direção técnica Pedro Guimarães

criação musical Edison Otero

assistência de encenação Biatriz Alves Ribeiro

assistência de cenografia e figurinos Ricardo Varela

design António Gomes

produção executiva Catarina Sobral, Ruana Carolina

comunicação Patrícia Cuan

produção Hotel Europa

coprodução Teatro Nacional D. Maria II, FITEI, Teatro Académico Gil Vicente

parceria Abril Abriu Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo

apoio a residência DeVIR CApa

cardapio.pt @ 27-3-2024 15:49:35


Clique aqui para ver mais sobre: Teatro