14/3/2019 a 14/3/2019 Tertúlia "O Futuro Visita o Passado" em Cabeceiras de Basto

História local: a música, o tempo e o silêncio

No próximo dia 14 de março, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto promove na Casa do Tempo, em Cabeceiras de Basto, uma tertúlia sobre a História Local, integrada no ciclo "O Futuro Visita o Passado", inserido no programa Mosteiro de Emoções.

cardapio.pt @ 8-3-2019 13:18:54

Com o tema ‘"A Música, o Tempo e o Silêncio", a iniciativa conta com as intervenções de Vitor Matos e Eugénio Amorim. Eugénio Amorim falará sobre "A Música Sacra em Portugal na primeira metade do século XVIII à luz da obra de João Rodrigues Esteves: leituras e reflexões" e Vitor de Matos sobre ‘O Clarinete na Obra de Joaquim dos Santos".

A anteceder esta tertúlia terá lugar a inauguração da Exposição de Adriana Henriques 'Luz, Cor e Silêncio no Mosteiro"'. Nesta exposição temporária, a artista utiliza o suporte em papel; aplica uma técnica mista (aguarela, pigmento, acrílico, tinta da china e líquido celuloso), resultando numa composição visual que remete para uma pintura em movimento, para uma linguagem abstrata, figurativa, orgânica, onde abundam elementos visuais poéticos, musicais e harmónicos e as cores quentes e frias, tudo coabitando no interior dos espaços misteriosos e sensíveis do Mosteiro, como se a ação se desenrolasse frente ao espetador, longe do olhar comum do observador. O conjunto das imagens de grande força teluriana são valorizadas por perspetivas, linhas e planos para dar sentido, presença, bem como exaltação sensorial ao efémero.

A artista plástica, Adriana Henriques nos seus trabalhos tem presente o espírito beneditino, conduz-nos pelo seu trabalho à contemplação e a alguns preceitos da regra de S. Bento, que consta de 73 capítulos, à espiritualidade e virtudes beneditinas, através de uma linguagem luminosa e soluções narrativas pictóricas procurando a redenção, o questionamento e planos de extrema contemplação.

A obra da artista apela à gravidade do silêncio, à luz, à paz, à contemplação, ao tempo. Sente-se, no lastro que sobeja da obra de Adriana, o desejo de oferecer uma respiração mística onde oscilam conceitos que contextualizam o título da exposição e entre todas as derivações um denominador comum da experiência e da subjetividade do tempo.


Informações

Data: 14 março (quinta-feira) | 18h00

Local: Casa do Tempo, Cabeceiras de Basto

Horário: 18h00

cardapio.pt @ 8-3-2019 13:18:54