Descubra 10 segredos surpreendentes de Malta

Malta é um arquipélago que esconde milhares de segredos, muitos dos quais são praticamente desconhecidos. A riqueza incomparável do património e a cultura diversificada deram a Malta uma identidade inconfundível, com inúmeras curiosidades surpreendentes. Percorrer as ilhas maltesas significa conhecer segredos únicos do Mediterrâneo.

cardapio.pt @ 13-1-2021 16:07:37

Relógios para assustar o diabo, templos mais antigos que as pirâmides do Egipto e uma bomba que nunca explodiu são alguns dos argumentos que fazem de qualquer visita a Malta uma aventura. Vamos descobri-los.

1. Valletta, pequena, mas relevante

É a mais pequena capital europeia - menos de 1 km quadrado - mas é a primeira a ser planificada, um facto sem precedentes na arquitetura europeia do século XVI. Foi o primeiro exemplo de uma cidade planificada graças às suas ruas quadrangulares e ao fornecimento de água potável através de canalizações. Embora a primeira pedra tenha sido colocada em 1566, só em 1571 é que os Cavaleiros da Ordem começaram a instalar-se.

2. Dois relógios para assustar o diabo

Pode passar despercebido que cada igreja tem dois relógios. Porquê dois relógios a marcar uma hora diferente? Há uma história curiosa por detrás deste facto. Enquanto o primeiro relógio mostra a hora correta, os ponteiros do segundo relógio estão a indicar números diferente para confundir o diabo e assegurar o bom funcionamento das Missas.

3. Os pescadores, protegidos contra a má sorte

Por detrás do luzzu esconde-se também uma história interessante. Os Luzzu são os típicos barcos malteses, barcos de cores vivas que podem ser vistos em toda a sua glória no porto de pesca de Marsaxlokk. De cada lado dos arcos estão os olhos de Osíris, que segundo os fenícios servem para afastar os maus espíritos e garantir o bom trabalho dos pescadores.


4. Maltês, uma língua especial

Os malteses orgulham-se de ser um povo diferente dos demais com uma cultura peculiar. E esse cruzamento de civilizações durante milhares de anos também tem o seu efeito na língua local, Malti, que é a oficial assim como o inglês. Fenícios, árabes, espanhóis, italianos, franceses e ingleses deixaram todos a sua marca na língua maltesa, a única em toda a União Europeia que vem do árabe e a única língua semita do mundo que utiliza o alfabeto latino.

5. A bomba que não detonou

Durante a Primavera e o Verão de 1942, Malta viveu o seu período mais crítico desde o Grande Cerco de 1565, com intensos ataques aéreos no contexto da Segunda Guerra Mundial. A 9 de abril de 1942, cerca de 300 paroquianos estavam a assistir a uma Missa na Rotunda de Mosta quando uma bomba caiu na igreja. Milagrosamente não detonou, salvando os presentes de uma morte certa. Em honra deste episódio, uma réplica dessa bomba é guardada na sacristia da igreja.

6. A única obra assinada por Caravaggio

A Co-Catedral de São João, em Valletta, tem entre as suas principais joias culturais a única obra assinada por Caravaggio, um dos mais prestigiados artistas da pintura barroca. Esta pintura, A Decapitação de São João, datada de 1607, é também conhecida como a sua maior obra.

7. Pastizzi

Não se pode deixar Malta sem dar uma dentada nos pastizzi, tradicionais na cozinha local. Estes são bolos de pastelaria que são diferentes dos habituais. Normalmente, um bolo é de sabor doce. Os pastizzi, contudo, são recheados com carne, espinafres, queijo ricota ou puré de ervilhas. Nada melhor do que entrar na pastizzeria tradicional para descobrir o seu rico sabor.


8. Hollywood do Mediterrâneo

Para os amantes da sétima arte, Malta é um lugar a visitar pelo menos uma vez na vida. Considerada a Hollywood do Mediterrâneo, testemunhou a rodagem de importantes filmes como a Guerra Mundial Z, Troia, O Conde de Monte Cristo e Gladiador. Para os adeptos ferrenhos de Game of Thrones, em Malta encontram-se os mais extraordinários cenários onde foram filmadas algumas das principais cenas desta série de renome mundial.

9. O toque inglês no meio do Mediterrâneo

Uma colónia britânica até 1964, algumas características típicas da cultura anglo-saxónica ainda permanecem em Malta. Ao alugar um carro para percorrer as ilhas, é importante ter em consideração que no arquipélago se conduz pelo lado direito. E claro que não podemos esquecer as cabines telefónicas, com aquele vermelho peculiar que o transporta para a paisagem londrina, embora com os benefícios do clima mediterrânico.

10. Mais velho que as pirâmides do Egipto

Declarado Património Mundial pela UNESCO, os templos megalíticos de Malta deixaram um legado pré-histórico incomparável no arquipélago. Com um período cronológico entre 5.000 e 2.500 a.C., são mais antigos do que as pirâmides egípcias e são considerados os templos mais antigos do mundo. Os templos de Ggantija, na ilha de Gozo, destacam-se pela sua magnitude, com muros até seis metros de altura.

cardapio.pt @ 13-1-2021 16:07:37


Clique aqui para ver mais sobre: Destinos