2ª edição da Feira de Edições "Transfer" em Guimarães

Este fim de semana, 09 e 10 de maio, pelo segundo ano consecutivo, a Feira de Edições Transfer volta a realizar-se na Plataforma das Artes e da Criatividade e no Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG). Um evento para os apaixonados das letras, do livro enquanto objeto, e da ilustração. 

@ 6-5-2015 12:13:10

Ao longo de dois dias, entre as 10h00 e as 20h00, além das exposições patentes no CIAJG, poderá encontrar um local privilegiado para a descoberta das artes, com uma programação que inclui apresentações e conversas, oficinas livres e lançamentos editoriais.

Nesta 2ª edição, a Transfer mantém a sua componente oficinal, desenvolvendo pequenas oficinas de participação livre, onde o público poderá familiarizar-se e participar nos vários processo de impressão e composição de imagens e textos. Tal como no ano passado, esta feira reúne editores independentes, artistas gráficos e ateliers tipográficos, que irão igualmente lançar e apresentar as suas novidades editoriais durante o evento. A Feira estende-se, iguamente, a outros editores que desenvolvem o seu trabalho no campo da autoedição e em vertentes tão diversas como a música, a ilustração ou a banda desenhada. Averno, Língua Morta, Grisu, Do lado esquerdo, Frenesi e Oficina Arara são apenas alguns dos nomes que, este ano, participam na Transfer.

Ao longo dos dois dias da Feira, estão previstas várias atividades em torno do livro e do experiencialismo editorial. Nas novidades editoriais e lançamentos, a O Homem do Saco traz “Presente do Particípio”, de Regina Guimarães, e “Cenas d’A Scena do Ódio”, de Almada Negreiros, impresso em carateres móveis, por ocasião das comemorações dos 100 anos da revista Orpheu. A Chapa Azul traz à Transfer a obra “Cordéis”. Inspirado na literatura de cordel, o nome tem origem na forma como tradicionalmente os folhetos eram expostos para venda, pendurados em cordas ou cordéis. Também a Oficina do Cego traz à Feira de Edições “Jumbo”, lançamento de coleção de posters em impressão serigráfica. Por fim, o evento acolhe ainda a apresentação de “Mali, Fulani (Mito da criação)”, uma edição conjunta em várias técnicas de impressão, cujo projeto foi desenvolvido na 1ª edição da Transfer.

O hall do CIAJG irá acolher a exposição “Documentos”, uma mostra de edições de artista da coleção de Miguel Mesquita Guimarães. O ambiente sonoro da 2ª edição da Transfer ficará a cargo de Pedro André, cofundador da Marvellous Tone e Faca Monstro do Porto, a partir das edições dos dois coletivos e diversos trabalhos sonoros dos produtores envolvidos, entre outras curiosidades.

Ao longo do fim de semana estão agendadas também várias apresentações e conversas. No sábado, às 12h00, Cláudia Dias traz “Coleção Abstrusa”, uma edição da Oficina do Cego, e às 15h00 Joaquim Moreno apresenta “Publicação ou ação pública”. Às 16h30, o editor Carlos Alberto Machado dá a conhecer a editora Companhia das Ilhas. O sábado termina com a apresentação de “Vós Luminosos e Elevados Anjos”, de William T. Vollmann, por Manuel João Neto e Duarte Pereira. No domingo, a feira volta a acolher várias iniciativas. Às 15h00, João Pedro Azul e João Concha apresentam “O Livro do Amo”, da editora Flan de Tal, e às 16h30 Isabel Baraona e Catarina Figueiredo Cardoso apresentam os projetos “Tipo.pt” e “Portuguese Small Press Yearbook”. Às 18h00, Manuel João Neto e André Coelho fazem a apresentação de “Terminal Tower”, da editora Chili com Carne.

A 2ª edição da Transfer inclui ainda várias oficinas livres. A Oficina do Cego propõe um atelier aberto de papel marmoreado e O Homem do Saco aposta num atelier aberto de impressão em tipografia de carateres móveis. António Soares, da Ex Sapientia, orienta um atelier aberto de encadernação e a Pé de Mosca mostra o processo de encadernação, carimbagem e acabamento. Também o Grémio Vimaranense oferece uma Oficina de Palavras, a partir dos vários textos e edições da feira. Haverá ainda uma oficina de construção de velhos mecanismos, brinquedos modificados e maquinaria paranóica, intitulada “Gabinete de Curiosidades do Doutor Urânio”.

O Serviço Educativo da Oficina também participa neste fim de semana dedicado aos livros e à ilustração. No sábado e no domingo, às 16h00, as crianças entre os 4 e aos 10 anos, e as suas famílias, poderão participar numa oficina que tem como objetivo (re)descobrir a linguagem a partir do “Alfabeto Africano”, de José de Guimarães, e de um conto de Rudyard Kipling. A orientação desta oficina está a cargo de Matilde Seabra e Tatiana dos Santos.

Grande parte do programa da 2ª edição da Transfer terá lugar na magnífica praça da Plataforma das Artes e da Criatividade. Na eventualidade de chuva, a Feira transfere-se para o interior do CIAJG. Não perca a oportunidade de visitar esta Feira durante este fim de semana. A entrada é livre em todas as atividades.

@ 6-5-2015 12:13:10


Clique aqui para ver mais sobre: Centro Internacional das Artes José de Guimarães - Notícias / Eventos