Maryse Condé vende Prémio Nobel da Literatura "alternativo"

A francesa Maryse Condé foi distinguida pela Nova Academia Sueca, associação criada como forma de protesto ao cancelamento do Prémio Nobel da Literatura 2018

cardapio.pt @ 12-10-2018 13:20:16

Maryse Condé ©MEDEF

Maryse Condé ©MEDEF

A entrega do Prémio Nobel da Literatura 2018 foi cancelada na sequência de um escândalo sexual dentro da Academia Sueca. Como forma de protesto, mais de uma centena de individualidades da cultura sueca resolveram formar a Nova Academia Sueca, criada exclusivamente para a atribuição de um prémio alternativo ao Nobel da Literatura, e que será dissolvida após a cerimónia formal da entrega do prémio, marcada para o dia 9 de dezembro.

Maryse Condé foi a escolha unânime do júri para receber esta distinção. Natural de Guadalupe, Maryse Condé vive atualmente nos Estados Unidos e é uma das mais importantes difusoras da cultura africana nas Caraíbas. A escritora, feminista e ativista de 85 anos é autora de mais de 20 romances, entre os quais "Desirada", "Segu", "Crossing the Mangrove" e "Who Slashed Celanire's Throat?".

Para além de Maryse Condé estavam nomeados ao prémio alternativo ao Nobel da Literatura 2018 o japonês Haruki Murakami, o inglês Neil Gaiman e a vietnamita Kim Thúy.

cardapio.pt @ 12-10-2018 13:20:16