Morreu Agustina Bessa-Luís

A literatura portuguesa ficou mais pobre

A escritora Agustina Bessa-Luís morreu esta segunda-feira, aos 96 anos, vítima de doença prolongada.

cardapio.pt @ 3-6-2019 15:36:52

Nascida em Vila Meã, Amarante, no ano de 1922, Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa-Luís foi uma autora prolífica com mais de 50 obras editadas entre romances, contos, ensaios, peças de teatro, biografias romanceadas, crónicas de viagem e livros infantis.

A sua obra foi distinguida com inúmeros prémios entre os quais os prémios Delfim Guimarães (1953) e Eça de Queiroz (1954), atribuídos ao romance "A Sibila", um dos romances mais marcantes da ficção portuguesa contemporânea. Recebeu ainda o Prémio Nacional de Novelística em 1967 com "Homens e Mulheres", o Prémio D. Dinis em 1980 com "O Mosteiro", o Grande Prémio Romance e Novela (em 1983 com "Os Meninos de Ouro" e em 2001 com "O Princípio da Incerteza I - Jóia de Família") e o Prémio Camões em 2004, a mais importante distinção do universo de língua portuguesa.

Agustina Bessa-Luís estava afastada da vida pública há cerca de duas décadas por razões de saúde, tendo publicado o seu último romance "A Ronda da Noite" em 2006. Em 2016, depois de ter rompido de forma mediática com a Guimarães Editores, que publicava os seus trabalhos desde 1954, as obras da autora começaram a ser reeditadas pela Relógio d’Água.


A cerimónia fúnebre da escritora decorrerá na terça-feira, 4 de junho, dia de luto nacional decretado pelo governo, na Sé Catedral do Porto, seguindo depois para o cemitério do Peso da Régua, Vila Real. 

cardapio.pt @ 3-6-2019 15:36:52