6/12/2019 a 8/12/2019 15.ª Festa da Poesia em Matosinhos celebra Sophia e Sena

No ano em que se assinalam cem anos do nascimento de Sophia de Mello Breyner e de Jorge de Sena e o 125.º aniversário de Florbela Espanca, a Festa da Poesia está de volta a Matosinhos de 6 a 8 de dezembro com um conjunto de iniciativas para todo o tipo de públicos, como debates, workshops, música, sessões de cinema e poesia.

cardapio.pt @ 4-12-2019 13:32:33

As atividades decorrem na Biblioteca Municipal Florbela Espanca e contará com a presença de Edite Estrela, Irene Flunser Pimentel, Capicua, Samuel Úria, Isabel Nery (autora da biografia de Sophia de Mello Breyner), Rui Spranger, José Rui Teixeira, Manuella Bezerra de Melo e Patrícia Costa.

Destaque ainda para a realização de um workshop de produção de azulejos alusivos a Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena, os autores homenageados nesta 15.ª edição.


Programa

Sexta-feira, 6 de dezembro

18h00/20h00

Workshop | «As metáforas da liberdade»

Convidados: José Rui Teixeira

Num tempo em que a liberdade voltou a estar ameaçada de várias formas,

como pode a poesia traduzir esse desafio sem vulgarizar o tema? Um

workshop para debater a liberdade da metáfora e a metáfora da liberdade.

Notas: Limitado a 20 participantes. Inscreva-se

através de bmfe@cm-matosinhos.pt.

Sábado, 7 de dezembro

11h00/13h00

Workshop | «As imagens do mar»

Convidados: Rui Spranger

Como trabalhar a imagética do mar em poesia sem cair em lugares comuns.

Ainda é possível ser original escrevendo sobre o mar depois de Fernando

Pessoa ou Sophia? De que forma podem os poetas em início de carreira fugir

à armadilha do clichê?

Notas: Limitado a 20 participantes. Inscreva-se

através de bmfe@cm-matosinhos.pt.

15h30/17h30

Workshop | «Workshop de azulejos: Preencher Vazios»

Convidados: Joana de Abreu

O Preencher Vazios nasceu com o intuito de combater a falta de azulejos das

fachadas das casas e edifícios das nossas cidades. Muito mais que espalhar arte

e poesia, o projeto pretende chamar atenção para a necessidade de preservar

o património azulejar português que tem sofrido uma perda progressiva de

azulejos nos últimos anos. Nesta oficina cada participante irá desenvolver um

painel de 7 azulejos, que depois levará para casa para fixar numa parede. Em

conjunto vamos desenvolver mais 2 painéis para homenagear o centenário de

Jorge de Sena e de Sophia de Mello Breyner.

Notas: Limitado a 15 participantes. Ideal para famílias. Inscreva-se através de bmfe@cm-matosinhos.pt.

15h30

Exibição de filmes e documentários

Projeção das obras

Jorge de Sena (48 min.), O Nome das Coisas – Sophia de Mello Breyner Andresen (58 min.), Florbela Espanca – Alma Ardente, Fogueira Acesa – Parte I (26 min.), e Florbela Espanca – Alma Ardente, Fogueira Acesa – Parte II (30 min.).

Leitura de poemas [Florbela Espanca]

Domingo, 8 de dezembro

15h20

Convidados: Manuella Bezerra de Melo

Momento em que Manuella Bezerra de Melo dará voz a poemas de Florbela

Espanca.

15h30

Mesa de debate | «Florbela, um destino amargo»

Convidados: Edite Estrela e Irene Flunser Pimentel | Moderação: Sérgio Almeida

Florbela Espanca é um nome inquestionável da literatura portuguesa. Mas

quem foi esta poeta que, apesar de ter vivido apenas 36 anos, conseguiu

deixar uma marca indelével na literatura portuguesa? E por que razão os seus

sonetos e a sua escrita perduram na nossa poesia contemporânea?

16h45

Concerto | «A Poesia do Fado»

Convidados: Patrícia Costa

Espetáculo em que a fadista Patrícia Costa canta fados com letra de grandes

poetas portugueses.

17h20

Leitura de poemas

[Sena e Sophia]

Convidados: Manuella Bezerra de Melo

Momento em que Manuella Bezerra de Melo dará voz a poemas de Jorge de

Sena e de Sophia de Mello Breyner.

17h30

Mesa de debate | «Poesia e a luta pela liberdade, os exemplos de Sophia e Sena.»

Convidados: Capicua, Isabel Nery e Samuel Úria | Moderação: Sérgio

Almeida

Liberdade e poesia são palavras que sempre andaram juntas, mas alguns

poetas fizeram delas testemunho de vida. Sophia e Jorge de Sena são só dois

dos exemplos de poetas que se empenharam na luta pela liberdade, dando

disso nota na sua poesia. Do exílio à atividade política, a liberdade foi

sempre um mote inalienável.

cardapio.pt @ 4-12-2019 13:32:33


Clique aqui para ver mais sobre: Notícias sobre Literatura e Livros