9/8/2018 a 12/8/2018 Conheça o cartaz completo do Bons Sons 2018

O festival Bons Sons regressa a Cem Soldos de 9 a 12 de agosto para quatro dias repletos de música, e diversas atividades paralelas.

cardapio.pt @ 27-4-2018 17:36:17

São 45 os projetos que vão subir aos oito palcos do festival, espalhados pelas ruas, praças, largos e esquinas da carismática aldeia de Cem Soldos, no concelho de Tomar.

Na edição de 2018, o Bons Sons promete surpreender pela diversidade, com variados géneros musicais, artistas consagrados, músicos emergentes, muitas estreias, alguns regressos acarinhados e diversas atividades paralelas.


Do cartaz destacam-se alguns nomes sonantes da música portuguesa como os Dead Combo, que irão apresentar o seu novo trabalho "Odeon Hotel", Salvador Sobral, que está de regresso aos palcos e vai fazer a sua estreia no Bons Sons.

Também sonantes são os nomes Slow J, Selma Uamusse, Sara Tavares, Sean Riley & The Slowriders, Cais do Sodré Funk Connection, Mazgani, PAUS, Linda Martini e Zeca Medeiros..

Lena d'Água, ícone da pop-rock portuguesa, sobe ao palco com Manel Lourenço, o cantor e compositor que se apresenta como Primeira Dama, e com os membros do coletivo Xita Records.


Fazem ainda parte do cartaz do Bons Sons 2018 os seguintes projetos: The Lemon Lovers, 10 000 Russos, Peltzer, Mirror People, Lince, S. Pedro, O Gajo, Monday, Jerónimo, Tomara, quartoquarto, Luís Severo, António Bastos, Xinobi DJ set, Conan Osiris, Colorau Som Sistema, Tia Graça – Toda a gente devia ter uma, Fado Violado, Norberto Lobo, João Afonso, Ela Vaz, Miguel Calhaz, Motion Trio, Moonshiners, Palankalama, Patrícia Costa, Homem em Catarse, Orquestra de Foles, Vozes de Manhouce com Isabel Silvestre, Meta, Artesãos da Música, Douradas Espigas, Sacro, de Sara Anjo, UM [unimal], de Critina Planas Leitão, Filhos do Meio e Curtas em Flagrante.

A festa de receção aos festivaleiros no dia 8 de agosto contarácom um concerto do vencedor do concurso do 7º Festival Por Estas Bandas + Cover de Bruxelas DJ Crew.

Novidade nesta edição é o Palco Zeca Afonso, um anfiteatro natural num campo com algumas oliveiras, muito propício a concertos destinados à nova música portuguesa. Por outro lado, há dois palcos que recebem novos nomes: o palco Tarde ao Sol, no adro da Igreja de São Sebastião, presta, a partir de agora, homenagem a Amália Rodrigues (Palco Amália) com concertos, não só durante a tarde, mas também à noite, e o Auditório de Cem Soldos passa a chamar-se Auditório Agostinho da Silva, não só durante o festival, mas durante o ano inteiro, com programação ligada às artes performativas, cinema ou atividades para crianças.

A pensar no bem-estar de quem vem viver a descontração da aldeia, a organização implementou um conjunto de novos serviços como os pagamentos cashless, que vão permitir a utilização da pulseira do festival, equipada com um chip recarregável, como moeda de pagamento. Por sua vez, a área da restauração surge aumentada, com mais diversidade e espaços mais amplos. Também a zona do campismo foi reforçada e oferece alternativas ao campismo tradicional, com tendas já montadas no recinto disponíveis em vários tamanhos, conforme o número de pessoas. A pensar nas noites quentes de verão, o festival traz ainda uma nova área de estar que convida à descontração debaixo do céu estrelado.

Os bilhetes para o festival já estão à venda. De maio a julho, o bilhete diário tem o valor de 20 euros, subido para 22 euros em agosto. Jà o passe de quatro dias tem o valor de 40 euros de maio a julho e de 45 euros em agosto.

Para mais informações, visite o site do festival em www.bonssons.com

cardapio.pt @ 27-4-2018 17:36:17