11/10/2018 a 14/10/2018 "Sem Muros Nem Ameias" - Encontro da Canção de Protesto em Grândola

De 11 a 14 de outubro, o Observatório da Canção de Protesto promove o encontro "Sem Muros Nem Ameias" com o objetivo de promover o estudo, salvaguarda e divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto, produzido ao longo dos séc. XX e XXI, e da sua divulgação através da realização de iniciativas culturais diversas.

cardapio.pt @ 10-10-2018 18:24:08

“Sem Muros Nem Ameias” começa no dia 11 com a exibição, no pátio da SMFOG, do DVD referente ao espetáculo José Afonso ao vivo no Coliseu. No dia 12, no Parque de Feiras e Exposições, há concerto com Allen Hallowen, cantautor com um estilo único no panorama musical português, em que o rap e o rock resultam num retrato dos confrontos entre o ser humano e a realidade nas mais variadas esferas.

No dia seguinte, o Cineteatro Grandolense recebe o concerto Luso-Russo “A Música e a Revolução” com o barítono Alexandr Jerebtzov, o baixo João Miranda e o pianista Duncan Fox. O concerto, cantado em português e em russo, apresenta composições de Fernando Lopes-Graça, bem como temas das suas recolhas em parceria com Michel Giacometti, de Georgy Sviridov, compositor russo neo-romântico com atividade durante a era soviética, de Diubik, compositor, pianista e professor russo do século XIX e temas canções populares do rico folclórico russo.

O quarto dia do encontro é dedicado às exposições de pintura de Fátima Madruga, “Pequeno é Bonito – O país de Zeca Afonso” e “Pequeno é Bonito — Exposição Andarilha”, que estarão patentes ao público, das 15h00 às 21h00, no Cineteatro Grandolense, bem como à apresentação do CD- Livreto «Grândola, vila morena – Para sempre, José Afonso» e aos momentos musicais associados.


O Encontro da Canção de Protesto termina no dia 14 com a apresentação do CD- livreto “Grândola, vila morena — Para sempre, José Afonso”. O CD-livreto, edição do Município de Grândola, agrega conteúdo documental, de textos e imagens, dedicado à canção «Grândola Vila Morena» e ao seu autor, bem como um CD áudio que, para além das versões originais de José Afonso, em «Cantigas do Maio» e no concerto de 1972 na Galiza, conta com versões de artistas de vários países e de artistas locais que prestaram o seu tributo ao Músico e Poeta que ligou, para sempre, o nome de Grândola aos ideais de liberdade, democracia e solidariedade.

A sessão de apresentação conta com a participação de Alcides Bizarro, autor do texto-tributo a José Afonso, António Manuel Ribeiro, autor da faixa da versão dos UHF de «Grândola, vila morena», Arturo Reguera, um dos organizadores do concerto de José Afonso na Galiza, em 1972, onde, pela primeira vez, foi cantada a canção ao vivo, Carlos Martins, músico de Grândola e autor da versão «Revolução Romântica», que integra o CD áudio, José Mário Branco, responsável pela orquestração e produção musical do tema, Francisco Fanhais, músico com participação ativa na gravação da canção, e Rui Vieira Nery, musicólogo com produção académica sobre a obra de José Afonso.

A seguir à apresentação de “Grândola, vila morena—Para sempre, José Afonso”, Francisco Fanhais, os UHF, um Ensemble de sopros e percurssão da Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense e o Grupo Coral Etnográfico Vila Morena sobem ao palco para interpretarem algumas versões do CD e outras músicas.

cardapio.pt @ 10-10-2018 18:24:08