27/4/2019 a 27/4/2019 Garrafeira Nacional promove novo encontro com pequenos produtores

No próximo dia 27 de abril, a Loja da Conceição da Garrafeira Nacional promove mais um encontro com pequenos produtores das regiões do Douro, Dão, Lisboa e Alentejo.

cardapio.pt @ 24-4-2019 15:59:41

A Garrafeira Nacional mantém a sua aposta, saber e dar a conhecer ao seu público alguns dos pequenos produtores nacionais. Criadores de vinhos de nicho, que fora das grandes montras, vão mostrando no mercado a qualidade superior dos seus vinhos. A par das referências mais conhecidas, a Garrafeira Nacional defende o espaço para os produtores mais pequenos, numa ação que todos os meses promove o contacto dos clientes com os pequenos produtores.

A participação é gratuita, mediante inscrição prévia através do email info@garrafeiranacional.com. Os participantes recebem ainda um voucher de estacionamento de 1 hora válido para o parque de estacionamento da Praça da Figueira.

Saiba quem são os produtores presentes nesta edição.

Quinta do Todão, Douro

Gouvinhas, Foral concedido por D. Afonso III em 1256, fica situada junto à estrada S. Martinho Ferrão e fica abrigada do vento norte. De solo acidentado e profundamente xistoso, possui, além de excelentes vinho e azeite, saborosa laranja e tangerina. O edifício principal da Quinta do Todão é o Solar do Dr. Paulo Pizarro de Carvalho e Melo descendente do Marquês do Pombal, casa brasonada construída no Século XVIII. Curiosidade: A ascendência dos fundadores e ainda atuais proprietários da Quinta do Todão, vai até ao Século XV, Fernando Cortês (famoso capitão (1485 1547) de nacionalidade espanhola que conquistou o México, e ainda de Francisco Pizarro (1502-1548) que conquistou o Peru.


Quinta da Vegia, Dão

Situada no Dão, em Penalva do Castelo, conta com 20ha de vinha instalada em solos arenosos de origem granítica. Foi efetuado um trabalho de base de conhecimento do seu “terroir” e uma escolha criteriosa de castas. No seu conceito de produção de vinho a Casa de Cello teve sempre uma visão de preocupação ambiental. Nas suas vinhas nunca se recorreu à utilização de herbicidas, numa época em que não existia ainda essa consciência no mundo vitícola. A Casa de Cello pratica o “sustainable farming” produzindo uvas sãs e de qualidade que garantem em pleno a expressão dos “terroirs” nos vinhos que produz.

Quinta de Vale Mourisco, Lisboa

De origem secular, localizada no sítio de Vale Mourisco, na encosta do cabeço de Meca, classificado como chaminé vulcânica, foi edificada, no início do séc. XVIII, uma quinta homónima, mais precisamente no ano de 1723, data apresentada no relógio de sol, em lage de pedra, existente no pátio interior da Quinta. Os registos de propriedade remontam a 1815, sendo que pertence à família atual desde 1869, ao ser adquirida por Polidoro Dionísio dos Santos Reis, conforme registos e original do título de propriedade da época, documento com valor histórico por ter sido elaborado ainda no tempo da monarquia.


Cabeças do Reguengo, Alentejo

Segundo João Afonso, o produtor, “Depressa e bem, não há quem” – diz, com sabedoria, o nosso povo. E assim o fast é inimigo do good. Slow food e slow wine são palavras mágicas do meu gosto de viver. O slow wine é semelhante ao slow food mas um pouco mais complexo: também demora tempo a fazer-se, mas precisa de mais tempo para dar uma prova harmoniosa e gasta ainda mais tempo para mostrar todas as suas qualidades. O meu desejo é fazer puros slow wines, daqueles que se bebem dois ou três pares de anos após a colheita e se admiram nas décadas seguintes. Além de slow wines, os meus vinhos (de enologia minimalista), devem sempre privilegiar o carácter à perfeição, porque perfeição sem alma ou carácter torna os vinhos, assim como as pessoas, cansativos.

Informações

Data: 27 de abril de 2019

Local: Garrafeira Nacional - Loja da Conceição  (Rua da Conceição 20/26, esquina com Rua dos Fanqueiros 73, Lisboa)

Horário: 16h00 - 18h00

Preço: Gratuito

cardapio.pt @ 24-4-2019 15:59:41