Novidades Livros (19 a 25 de novembro de 2020)

cardapio.pt @ 18-11-2020 19:40:27

"Órix e Crex - O Último Homem" de Margaret Atwood

Editor: Bertrand Editora

Sinopse: 
Pode ser que os porcos não voem, mas estão completamente alterados. O mesmo se passa com os lobos e outros animais. Um homem, que em tempos se chamou Jimmy, vive numa árvore, embrulhado no seu lençol e diz chamar-se Homem das Neves. A voz de Órix, a mulher que ele amava, provoca-o e persegue-o. E os Filhos de Crex são agora responsabilidade sua. Como é que o mundo inteiro se desmoronou tão depressa?
Com a sua habitual agudeza de espírito e o seu humor negro, Margaret Atwood apresenta-nos um mundo novo, habitado por personagens que não nos deixarão acabado o último capítulo.

"Alice do Lado Errado do Espelho" de Pedro Rodrigues

Editor:  Cultura Editora

Sinopse: E se um dia acordássemos do outro lado do espelho? E se a maçã vermelha de Eva fosse a mesma que a Branca de Neve trincou? Será que a Rapunzel cortou o cabelo para evitar o contacto social? E o Lobo: porque é que é sempre ele o mau da fita? Estaria a profecia da Bela Adormecida certa? E a Cinderela: precisaria, ela, de ir ao baile para ser feliz? De uma coisa devemos estar certos: o mundo pode ruir como um póquer de ases - mas voltará a erguer-se como um castelo de cartas.


A Capuchinho-Vermelho encomendou a comida para a avó pela Uber Eats mal sabia ela que o entregador era o Lobo Mau

"As Motos da Nossa Vida -Uma viagem sentimental à memória das motorizadas portuguesas" de Pedro Pinto

Editor: Quetzal Editores

Sinopse: Uma viagem sentimental ao mundo das motorizadas portuguesas.

Recorde o mundo extraordinário das V4 e das V5, da Famel Zündapp e da Quimera Alma, das Pachancho, Casal Carina, Vilar Cucciolo, Famel Foguete, ou das Casal.

Este livro resulta da paixão de uma vida dedicada às motorizadas e às motos em Portugal - todas elas ganharam um lugar na nossa memória e na nossa vida. Para milhares de nostálgicos, Pedro Pinto traça a história, ilustrada, da idade de ouro das 50CC fabricadas em Portugal, desde os primeiros velocípedes a motor até à moda da motorizada e às corridas de velocidade. Revisita as grandes fábricas que, de Norte a Sul do país, inventaram modelos e exportaram milhares de unidades, e — finalmente — mostra como estamos a assistir ao regresso das motorizadas, restauradas com saudade, e que ficarão para sempre na história de vida dos nossos pais e avós, e de Portugal.

Inclui imagens de época, de modelos restaurados e de colecionador, além de uma cronologia das marcas e modelos.

"Uma História da Leitura" de Alberto Manguel

Editor: Tinta da China

Sinopse: Há sempre um momento, mesmo que difuso, em que cada um de nós olha para a página de um livro e começa a entender o que está lá escrito. Esse momento fundador, que equivale à abertura de um imenso universo de possibilidades, transforma-nos naquela entidade sem a qual os livros seriam apenas objectos sem significado - um leitor. De tábuas de barro ao papel, de códigos complexos a um simples scroll down, cada leitor entra, com a sua perspectiva própria, numa cadeia com mais de seis mil anos. A leitura é uma imensa experiência que Alberto Manguel, ensaísta conceituado e bibliófilo apaixonado, apresenta aqui desde tempos antigos, em que um grão-vizir da Pérsia carregava a sua biblioteca para todo o lado em quatro camelos, até aos dias de hoje, mostrando como a leitura pode ser sedução, rebelião, obsessão, alegria, liberdade e muito mais.

"O Maior Segredo - The Greatest Secret" de Rhonda Byrne

Editor: Harper Collins

Sinopse: O Segredo ensinou-nos a criar o que quiséssemos ser, fazer ou ter.

O Maior Segredo livra-nos de uma vida pautada pelo medo e pelo sofrimento e mostra-nos o caminho para vivermos uma vida repleta de felicidade e alegria. É um salto quântico que levará o leitor para além do mundo material, mergulhando-o na esfera do espiritual, onde todas as possibilidades estão abertas.

Os ensinamentos contidos nestas páginas incluem exercícios acessíveis que podem ser imediatamente postos em prática e revelações profundas que fazem com que o medo e a incerteza, a ansiedade e a dor se desvaneçam.

A conceituada e bem-sucedida autora, Rhona Byrne, criou um fenómeno global com a publicação d' O Segredo em 2006. Após catorze anos, descobriu, por fim, a verdade universal que expressa nestas páginas.

"Sentir & Saber - A caminho da consciência" de António Damásio

Editor: Temas e Debates

Sinopse: Nas últimas décadas, numerosos filósofos e cientistas cognitivos têm debatido a consciência como se fosse uma questão à parte, dando-lhe um estatuto especial, o de problema único, não apenas difícil de investigar mas insolúvel. Porém, António Damásio está convencido de que as mais recentes descobertas da Neurobiologia, da Psicologia e da Inteligência Artificial nos facultam as ferramentas necessárias para solucionar este mistério. Em 49 breves capítulos, o autor ajuda-nos a compreender a relação entre a consciência e a mente; porque estar consciente não é o mesmo que estar acordado e não precisa de mente; o papel fundamental dos sentimentos; e a relação entre o cérebro biológico e o desenvolvimento da consciência.


António Damásio não realiza apenas uma síntese entre as descobertas de várias ciências e as perspetivas da filosofia: apresenta a sua própria e original investigação, que tem transformado o entendimento do cérebro e do comportamento humanos.

"Pra Cima de Puta" de Cristina Ferreira

Editor: Contraponto Editores

Sinopse: Não julgue um livro pela capa.

"O Grito do Moloch - Blake e Mortimer N.º 27" de Étienne Schréder, Jean Dufaux e Christian Cailleaux

Editor: Edições Asa

Sinopse: Em A Onda Septimus, a ameaça de um engenho extraterrestre, batizado Orfeu, foi ultrapassada graças ao sacrifício de Olrik. Desde então, o "coronel" vive em reclusão num asilo psiquiátrico. Ao tentar chamar à razão o seu velho adversário, Philip Mortimer utiliza a célebre expressão do xeque Abdel Razek ("Por Hórus, para!") e descobre que existe um outro Orfeu. A bordo de um cargueiro transformado em laboratório secreto, Mortimer encontra o estranho piloto desta máquina vinda de outro mundo: um alienígena com forma humana, sombrio e hierático, a que os cientistas deram o nome de "Moloch", a divindade bíblica. Mas as reações deste Moloch, bem como os hieróglifos que deixa por onde passa e que constituem outras tantas mensagens indecifráveis, fazem temer o pior. Mais uma vez a capital britânica está em perigo. A menos que Olrik se disponha novamente a fazer de herói…


Com este álbum, que bem poderia intitular-se A Onda Septimus 2, Jean Dufaux conjuga ficção científica, aventura e loucura num belíssimo tributo à obra de Jacobs, secundado pelo traço sugestivo e preciso do trabalho a quatro mãos de Christian Cailleaux e Étienne Schréder, que retratam uma Londres eterna, digna d’A Marca Amarela.

"Reinventa a tua Vida - O teu dia é a tua vida em ponto pequeno" de Mário Caetano

Editor: Alma dos Livros

Sinopse: Se não nos reinventarmos vamos desaparecer. Então o que nos está a ser pedido? Do que estamos realmente a falar? Está a ser-nos pedido para mudar!

Este pedido é óbvio, mas não é novo. A mudança sempre aconteceu ao longo de milhões de anos de evolução, só que agora o pedido é mais rápido, mais chocante, mais dilacerante.
Mas não é novo. A REINVENÇÃO começa quando abraçamos as três fases de um novo ciclo e abandonamos a pergunta que nos prende ao passado: «Como é que vamos voltar a fazer o que fazíamos?». Para nos reinventarmos precisamos de mudar a pergunta que nos fazemos, e começar a perguntar: «O que vamos fazer de diferente e autêntico, num mundo novo?»

Por tudo isto, decidi trazer até ti um poderoso sistema que utilizei para reinventar a minha profissão e o meu relacionamento amoroso, a relação com o meu corpo e com o dinheiro, e até a forma como comecei a relacionar-me com a espiritualidade.
AINDA VAIS A TEMPO DE MUDAR.

"Quando eu era Pequenina -Pensamentos e Emoções sobre a Infância e as Memórias" de Luísa Castel-Branco

Editor: Contraponto Editores

Sinopse: O tempo da infância é diferente de todos os outros. É repleto de magia, de risos e lágrimas, de medos e desafios. Durante a infância, temos a certeza de que tudo vai ser possível e não sabemos que nunca mais voltaremos a sentir-nos assim. Sob a forma de emoções, e alimentando pensamentos, ficam memórias construídas com as coisas mais estranhas, como se de um edifício ou de um jardim desenhado com cuidado e desvelo se tratasse.


Neste livro, o primeiro de uma trilogia dedicada à infância e às memórias, ao amor e aos filhos, e ao envelhecimento e à morte, Luísa Castel-Branco leva o leitor pela mão até à ruralidade dos arredores da Lisboa dos anos 1950 e 1960, uma realidade povoada de grandes árvores bravias, de gado pachorrento, de personagens estranhas, de bailaricos apaixonantes e de mistérios familiares. E à memória tanto nos vem o cheiro a terra molhada de quando íamos para a escola e o outono começava a aparecer devagarinho, como o toque daquele vestido de que tanto gostávamos e que nos fazia sentir tão crescidas.

Verdadeiro e corajoso, delicado e afetuoso, arrancado do fundo da alma, Quando Eu Era Pequenina, de Luísa Castel-Branco, é uma obra preciosa, à qual nenhum coração sensível poderá ficar indiferente.

"O Bom Inverno" de João Tordo

Editor: Companhia das Letras

Sinopse: Um encontro literário em Budapeste parece um programa sem riscos, mesmo para um escritor frustrado, falido, hipocondríaco e coxo. Planeando uma deslocação rápida para participar numa conferência de escritores europeus, o nosso narrador está longe de imaginar onde essa viagem o irá levar.


Na verdade, num primeiro momento, leva-o da Hungria para Itália, convidado por um efusivo escritor italiano para passar alguns dias numa pequena cidade de província na costa italiana, numa casa perdida no meio de um bosque, longe de todos os olhares.

Pertence a Don Metzger, excêntrico produtor de cinema com duas paixões na vida: cinema e balões de ar quente.

Depois de uma noite de festa desregrada, Metzger é encontrado morto no lago da casa. A missão de descobrir o que aconteceu fica a cargo de Andrés Bosco, um gigante catalão que constrói os balões de ar quente. Cada um dos doze convidados tem uma história diferente para oferecer sobre o que aconteceu naquela noite, e rapidamente as traições e acusações começam a ser lançadas como flechas.
Entretanto, o ameaçador Bosco desaparece no boque e cerca a casa, determinado a encontrar o culpado.
Sobrará alguém para contara verdadeira história?

"D. Carlos" de Rui Ramos

Editor: Temas e Debates

Sinopse: D. Carlos I (1863-1908) foi um dos mais inteligentes e capazes reis do seu tempo, quando a Europa era ainda, com excepção da França e da Suíça, um conjunto de monarquias.

D. Carlos correspondia bem, pelas suas ideias e interesses, ao tipo do fidalgo liberal, o equivalente português da aristocracia whig inglesa. Tinha 26 anos quando foi aclamado rei, a 19 de Outubro de 1889, e apenas 44 quando foi assassinado a 1 de Fevereiro de 1908. Como já acontecera a seu pai, teve de viver com um movimento político entre os seus súbditos que se propunha abertamente destruir a monarquia.

Nos seus últimos dias, porém, julgou que estava no caminho certo para assegurar a continuidade da monarquia constitucional, através de uma renovação das lideranças partidárias e de uma reafirmação dos princípios do liberalismo, sinceramente por si partilhados. Independente, sensato e corajoso, conseguia suportar grandes pressões e tomar decisões arriscadas quando se impunham. Morreu por causa das suas qualidades, não por causa dos seus defeitos.

"A China já Ganhou?" de Kishore Mahbubani

Editor: Bertrand Editora

Sinopse: O embate geopolítico mais estruturante do século XXI está a dar-se entre a República Popular da China e os Estados Unidos da América. Será ainda possível influenciar o seu resultado?

A América e a China são superpotências mundiais com pouquíssimos rivais sérios. Olham-se com desconfiança, comunicam mal e parece haver pouca empatia natural entre elas.

A América valoriza a liberdade; a China valoriza a ordem.
A América valoriza o poder de decisão; a China valoriza a paciência.
A América está a tornar-se cada vez mais desigual; a China, uma meritocracia.
A América abandonou o multilateralismo; a China acolhe-o.

Será a sua supremacia inevitável? Estarão os outros 192 países fadados a vergar-se ao domínio económico e, quiçá, militar do maior país asiático? E será que os Estados Unidos e a União Europeia já perderam a luta pela sua relevância no palco internacional e comercial?

"Como Reorganizar um País Vulnerável?" de José Reis

Editor: Actual Editora

Sinopse: Macroeconomia e organização económica, políticas públicas, trabalho, emprego e produção, territórios urbanos, ambiente, famílias, interdependências sociais e desigualdades - estas podiam ser as palavras-chave deste livro, essenciais ao estudo das vulnerabilidades a que não podemos deixar de dar atenção. Mas interessamo-nos também pelas alternativas. e propomo-las, aqui, em diversos domínios.


A incerteza radical que nos rodeia é o convite mais forte para que discutamos e olhemos para o essencial, sabendo que não pode ser nas velhas racionalidades nem nas velhas restrições que encontramos os termos da discussão. É a vida que se nos impõe como maior valor.

Tanto as vidas individuais como a vida que tem de orientar a nossa reorganização coletiva, na economia, na sociedade, no espaço público e político. o processo da vida, que um sábio antigo usava para definir o objeto da sua disciplina, deve ser hoje o mote para tudo.

"A Laranja Mecânica" de Anthony Burgess

Editor: Alfaguara Portugal

Sinopse: A laranja mecânica é a chocante confissão de Alex, um jovem delinquente que relata os seus excessos criminosos na companhia dos amigos Pete, Georgie e Lerdo. Juntos, divertem-se ao máximo a praticar actos de violência, sem sentir qualquer remorso. Detido após a violação brutal da mulher de um escritor, Alex dá conta da sua «reeducação» no contexto de um projecto do Governo para erradicar a violência. Uma vez reinserido na sociedade, as consequências dessa experiência para Alex serão tragicamente inesperadas.

Publicada pela primeira vez em 1962, A laranja mecânica é hoje amplamente reconhecida como uma das obras literárias mais influentes do século XX. O livro pode ser lido como uma distopia tragicómica ou como uma fábula sobre o bem e o mal e a importância do livre-arbítrio.
Esta edição especial, preparada para celebrar os cinquenta anos da publicação original do romance, foi organizada por Andrew Biswell, biógrafo de Anthony Burgess, e recupera o texto do romance tal como o autor o concebeu originalmente, incluindo uma interessante selecção de material inédito: entrevistas e artigos, assim como anotações e ilustrações do autor no manuscrito original. A rematar o conjunto, um glossário de Nadsate, imprescindível para os leitores que não queiram aventurar-se sozinhos na descoberta da língua inventada por Burgess neste romance.
Aceitemos o convite do autor: «Se A laranja mecânica, à semelhança de 1984, assumir o seu posto como um dos salutares avisos literários contra a lassidão, o pensamento desleixado e a confiança excessiva no Estado, então terá alcançado algo de valor.»

"O Nome da Rosa - Edição especial com textos inéditos" de Umberto Eco

Editor: Gradiva

Sinopse: Uma abadia medieval isolada. Uma comunidade de monges devastada por uma série de crimes. Um frade franciscano que investiga os mistérios de uma biblioteca inacessível.

Numa edição com desenhos e apontamentos preparatórios do autor, o romance que revelou o génio narrativo de Umberto Eco: traduzido em 60 países com mais de 50 milhões de exemplares vendidos, O Nome da Rosa ganhou o prémio Strega em 1981 e inspirou um filme e uma série de televisão com grande êxito internacional.
«Os desenhos e as anotações manuscritas do futuro autor de O Nome da Rosa testemunham o trabalho preparatório minucioso antes da redacção do romance. São a confirmação efectiva do afirmado por Eco em Porquê ‘O Nome da Rosa’? (1983): «para contar uma história há que começar por construir um mundo, tanto quanto possível recheado até aos últimos pormenores». E o que nos conta, ou melhor, nos antecipa deste mundo o material aqui reproduzido? Em primeiro lugar a identidade, a fisionomia dos principais protagonistas, com o típico traço veloz e arguto do autor, que justificará a sua invenção ‘para saber que palavras colocar na sua boca’. Depois, alçados e plantas de abadias, castelos, labirintos, emanados da mente de um soit disant ‘medievalista em hibernação’, que entretanto se ocupou também de outras coisas.»
Mario Andreose

"Mulheres sem Medo - 150 anos de combate pela liberdade, igualdade, sororidade" de Marta Breen e Jenny Jordhal

Editor: Bertrand Editora

Sinopse: Liberdade, Igualdade, sororidade. Mulheres sem Medo é uma novela gráfica que cobre 150 anos de história do feminismo. São 150 anos de coragem, garra e visão de quem lutou e ainda luta pelos direitos das mulheres à volta do globo. Da luta abolicionista ao movimento #MeToo, passando pela história das sufragistas e do direito ao aborto e à contraceção e pela reivindicação dos direitos LGBTQ e do casamento gay... está (quase) tudo aqui. Atreve-te a ser ouvid@ e a juntar a tua voz às del@s..


"Como é Linda a Puta da Vida" de Miguel Esteves Cardoso


"A História Secreta dos Templários - Os grandes mistérios da mais famosa ordem militar do mundo" de Canal História

cardapio.pt @ 18-11-2020 19:40:27


Clique aqui para ver mais sobre: Notícias sobre Literatura e Livros