7/12/2019 a 8/12/2019 MALUGA - Festa da Marioneta Luso-Galaica traz o Tradicional Teatro Dom Roberto a Caminha

Algum do reportório do teatro tradicional de fantoches português, o Dom Roberto, vai estar em destaque no próximo fim de semana 7 e 8 de dezembro, na V edição do MALUGA – Festa da Marioneta Luso-Galaica, que leva a Caminha ainda um espetáculo de uma companhia galega fundada em Lisboa por um português e uma peça adaptada de um conto do luso-angolano José Eduardo Agualusa.

cardapio.pt @ 4-12-2019 16:40:46

O festival é promovido uma vez mais pela companhia de teatro Krisálida e resulta de uma parceria com a Câmara Municipal de Caminha, reunindo como é hábito companhias de marionetas de Portugal e da Galiza (Espanha), entre espetáculos em sala e na rua, mas também com oficinas de construção de marionetas para crianças a partir dos 4 anos.

"O festival não para de crescer e na edição deste ano apostamos na forma popular portuguesa do teatro de marionetas de luva em Portugal, o Teatro Dom Roberto, uma relíquia da cultura popular nacional. Vamos ter dois espetáculos deste género, pela companhia MãoZorra através do fantocheiro/roberteiro João Costa, recuperado de mestres que o faziam de forma bastante intensiva em Portugal até aos finais da década de 1960, além de uma nova peça que este artista criou dentro da matriz deste teatro", sublinhou Carla Magalhães, diretora artística da Krisálida.

A edição de 2019 do festival começa no sábado, 07 de dezembro, com o espetáculo "A Girafa que comia estrelas", levada à cena a partir das 11:00 no Teatro Municipal Valadares, em Caminha, pelo Movimento InCriativo, de Arcos de Valdevez, uma adaptação do conto homónimo de José Eduardo Agualusa, onde, através do teatro de marionetas, em plena savana, vamos ver nascer a amizade improvável entre uma girafa e uma galinha do mato.

À tarde, pelas 15:30, é a vez da MãoZorra – Teatro de Marionetas apresentar o seu Teatro D. Roberto com a história "O Caçador", na Praça do Conselheiro Silva Torres.

O Teatro Dom Roberto é um género popular de teatro de marionetas português em que todas as personagens falam com "voz de palheta", levando a que o vocabulário se baseie em palavra e onomatopeias em que a letra 'R' é predominante. Este género terá chegado a Portugal no século XVII, através de marionetistas italianos e franceses.

"Estamos a falar do único festival do Alto Minho que promove a Arte da Marioneta entre duas regiões transfronteiriças. Queremos que ano após ano se assuma como uma referência em ambos os territórios ", sublinhou Carla Magalhães.

Pelas 17:00 sobe ao palco do Teatro Municipal Valadares a peça "Auga que non vas beber", pela companhia galega Fantoches Baj, uma comédia musical para marionetas com canções populares e da memória coletiva na península ibérica, como "A Saia da Carolina" ou "O sermão do padre Damião".

A peça, que levará a uma forte participação do público, é levada à cena pela companhia fundada em Lisboa, em 2016, por Inacio Vilariño, que é também autor e encenador da Fantoches Baj, que já venceu vários prémios em Espanha.

No domingo, o programa do Maluga prevê das 10:00 às 12:00, nos Paços do Concelho de Caminha, as chamadas Oficinas Divertidas, com construção de marionetas de mesa por crianças, projeto denominado "Quem é quem?" e conduzido pela companhia Historioscópio, do Porto. As crianças terão a oportunidade de dar corpo às personagens da sua imaginação, construindo-as e dando-lhes vida, além de criar as suas próprias histórias.

À tarde, pelas 15:30, na Praça do Conselheiro Silva Torres, está previsto novo espetáculo de Teatro Dom Roberto, desta vez com a história "O Barbeiro", em que Roberto, o protagonista destas histórias, vive uma aventura no dia do seu casamento com a polícia e o diabo à mistura.

De seguida é apresentada a história "A Tourada", retratando uma verdadeira tourada à portuguesa, mas com um touro que é doce e que gosta de festinhas.

O festival de 2019 encerra no Teatro Municipal Valadares, pelas 17:00, com a companhia Historioscópio – Teatro de Marionetas a levar à cena a peça "João Pateta" que, a partir dos Contos para a Infância de Guerra Junqueiro, aborda o imaginário das histórias tradicionais do meio rural, contadas e recontadas oralmente de geração em geração. A peça tem a particularidade de ser acompanhada por música ao vivo, com uma banda sonora original ao estilo dos 'blues'.

Face ao interesse que o festival tem despertado, a Krisálida vai levar a edição deste Maluga até Vila Praia de Âncora, com representações já em janeiro.

Programa

7 de dezembro de 2019, sábado  - 11H00 – Teatro Municipal Valadares

A GIRAFA QUE COMIA ESTRELAS
a partir do conto homónimo de José Eduardo Agualusa
por Movimento InCriativo (Arcos de Valdevez)


Olímpia é uma girafa diferente, porque é muito alta e anda sempre com a cabeça nas nuvens. À noite, sobe ao morro mais alto da savana e come estrelas, mas o que ela quer mesmo é encontrar anjos. Nas nuvens apenas encontra D. Margarida, uma galinha do mato que aí vive com a cabeça cheia de frases feitas. As duas vivem uma bonita amizade e mostram-nos que, com um pequeno esforço, podemos sempre dar o nosso contributo para resolver grandes problemas.

Ficha artística e técnica

Encenação: António Rocha
Interpretação: António Rocha, Céu Bivar e Ricardo Dias
Música original: António Rocha
Piano (interpretação e arranjo): João Miguel Fernandes
Marionetas (conceção e construção): Rui Martins
Cenografia, adereços e figurinos: António Rocha, Céu Bivar, Maria Pedro (Tita), Orlando Costa, Ricardo Dias e Tânia Correia
Desenho de Luz: Jonathan Richter
Produção: Companhia Movimento InCriativo

Classificação: M/3 anos
Duração: 60 minutos

15H30 – Praça do Conselheiro Silva Torres (Terreiro)

O CAÇADOR, Teatro D. Roberto
Por MãoZorra, Teatro de Marionetas (Oeiras)



Rute sente-se muito triste e procura um namorado com quem casar! Roberto de pronto se oferece como noivo, mas terá de satisfazer Rute com um belo jantar. A ida à caça é a solução que Roberto encontra para conquistar Rute. Porém um outro caçador, um coelho ladrão e astuto irão tornar a tarefa difícil e repleta de peripécias. Para além disso surge o Mago a reclamar pelo seu coelho mágico. Irá conseguir Roberto casar com Rute?

Ficha artística

Interpretação e Marionetas: João Costa

Classificação: Todos os públicos

Duração: 35 minutos

17H00 – Teatro Municipal Valadares

AUGA QUE NON VAS BEBER
por Fantoches Baj (Galiza, Espanha)


«Auga que non vas beber» é um recital satírico para marionetas, onde se enfatizam diversas canções populares como “A Saia da Carolina”, “O sermão do padre Damião” ou “O padre está doente”, entre outras músicas e histórias que sempre remetem à memória coletiva de transmissão oral vivenciada em toda a Península Ibérica e que o autor vincula para contar as aventuras e desventuras do moleiro José com Carolina, sob a tutela libidinosa do Padre Damião, padre da Agolada. Este espetáculo foi o vencedor do prémio AGADIC para textos de marionetas para adultos em 2010. A encenação é inspirada na figura teatral do cego com marionetas, tão presente na Galiza no século XIX, resgatando-se a relação que se estabelecia entre atores e marionetas de luva e na qual o narrador também é ator e manipulador dos personagens.

«Auga que non vas beber» é uma comédia musical animada, na qual a participação do público será crucial.

Ficha artística e técnica

Autor e Encenador: Ignacio Vilariño
Interpretação: Almudena Vidal e Inacio Vilariño
Autor das ilustrações: Iván Suárez Núñez
Desenho de espaço sonoro: Almudena Vidal e Benxa Otero
Cenografia e marionetas: Luís Iglesias
Desenho de luz: Juan M. Collazo
Assistente de encenação: Larraitz Urruzola
Figurinos: Tero Rodríguez

Classificação: M/12 anos

Duração: 60 minutos

8 dezembro de 2019, domingo

10H00 às 12H00 - Paços do Concelho de Caminha
OFICINAS DIVERTIDAS Construção de Marionetas de Mesa “Quem é quem?”
por Historioscópio (Porto)

Nesta oficina os participantes terão a oportunidade de dar corpo às personagens da sua imaginação! Vamos construir marionetas de mesa e aprender a dar-lhes vida, incentivando os pequenos artistas a criar as suas próprias histórias.

Duração: 120 minutos

Público-alvo:
- Crianças sem a presença de pais ou auxiliares educativos» maiores de 6 anos
- Crianças com a presença de pais ou auxiliares educativos» maiores de 4 anos

Limite máximo de participantes por oficina
- Crianças sem a presença de pais ou auxiliares educativos» 20 participantes
- Crianças com a presença de pais ou auxiliares educativos» 30 participantes

Preço da oficina: 5€ por participante (no final cada participante leva a sua marioneta para casa)

Para mais informações e inscrições até dia 5 de dezembro, contacte o mail geral@krisalida.pt ou telefone +351 960 115 415

15H30 – Praça do Conselheiro Silva Torres (Terreiro)

O Barbeiro + A Tourada, Teatro de Robertos
De MãoZorra Teatro de Marionetas (Oeiras)



O BARBEIRO - Roberto no dia do seu casamento vai ao barbeiro para se afeitar! Durante o corte, Roberto começa-se a revelar bastante “malandro” e provoca algumas situações de correrias e “travessuras”, com o Barbeiro. Este, quando lhe cobra 3 euros pelo serviço, apercebe-se que Roberto não faz intenções de pagar e aqui começam todas as malandrices e enganos entre ambos. Mais tarde outras personagens juntam-se à enorme confusão gerada por Roberto: um Polícia que o quer preso, um Diabo que o enfrenta endiabrado e uma morte que se deixa adormecer nos seus braços e sofre na astúcia humorística de Roberto.

A TOURADA - Não tendo uma narrativa, esta peça retrata uma verdadeira tourada à portuguesa. Um touro que não é feroz, mas sim doce e que gosta de festinhas e que se cansa rapidamente. Um toureiro que gosta de fazer travessuras e uns forcados que ficam confusos com um touro, que mais parece um cão brincalhão. Uma divertida história que retrata de forma muito especial uma controversa tradição portuguesa.

Ficha artística

Interpretação e Marionetas: João Costa

Classificação: Todos os públicos

Duração: 45 minutos

17H00 – Teatro Municipal Valadares

JOÃO PATETA
por Historioscópio, Teatro de Marionetas (Porto)


Num velho casebre perto da floresta vivia uma pobre senhora com o seu filho João, bom rapaz, mas um tanto simplório. As gentes da aldeia chamavam-lhe em tom de zombaria de “João Pateta”. A partir de um dos “Contos para a Infância de Guerra Junqueiro”, este espetáculo é inspirado pelo imaginário das histórias tradicionais do meio rural, contadas e recontadas oralmente de geração em geração. É acompanhado por música ao vivo, com uma banda sonora original ao estilo de blues. Um espetáculo intemporal para todas as gerações.

Ficha artística

Dramaturgia, Criação Plástica e Interpretação: Samantha Jesus
Banda Sonora e Música ao vivo: Laura Felício

Produção: Historioscópio, Teatro de Marionetas

Classificação: M/ 3 anos

Duração: 45 minutos

Informações

Datas: 7 e 8 de dezembro de 2019

Local: Caminha

cardapio.pt @ 4-12-2019 16:40:46


Clique aqui para ver mais sobre: Teatro