4/7/2020 a 4/7/2020 2.ª dia de Festival de Almada com 6 produções e 8 sessões

Ao segundo dia, três novas peças entram em cena no Festival de Almada: O mundo é redondo, de Gertrude Stein, com encenação de António Pires, pela Ar de Filmes/Teatro do Bairro, às 18h no Fórum Romeu Correia; com duas sessões Turma de 95, com texto, encenação e interpretação de Raquel Castro, às 18h, e às 22h, no Teatro-Estúdio António Assunção; e às 21h30, By Heart, com texto e encenação de Tiago Rodrigues, pelo Teatro Nacional D. Maria II, na Academia Almadense.

cardapio.pt @ 3-7-2020 14:54:57

Mantêm-se em cena A grande emissão do mundo português, pelo Teatrão, às 19h, e às 22h, no Salão de Festas da Incrível Almadense; Mártir, pela CTA, às 16h, na Sala Experimental do Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB); e Bruscamente no Verão passado, pelo TEC, na Sala Principal do TMJB.


"O Mundo é Redondo" (Fórum Municipal Romeu Correia, dias 4 e 11, às 18h; dias 5, 10 e 12, às 21h30) M/12 1h30

"O Mundo é Redondo"  ©Maria Antunes

"O Mundo é Redondo" ©Maria Antunes

Publicado em 1939, O Mundo é redondo foi recebido com críticas por causa da pontuação que não estava lá, da presença esmagadora da repetição e do nexo narrativo nem sempre evidente, por alegado excesso de malabarismo com a linguagem. A todos os seus detractores, Gertrude Stein aconselhou: «Não se importem com as vírgulas que não estão lá, leiam as palavras. Não se importem com o sentido que lá está, leiam as palavras mais depressa. Se tiverem alguma dificuldade, leiam mais e mais depressa até não terem.»

Distinguido em 2019 com o Prémio da Sociedade de Autores para Melhor Espectáculo, celebra o prazer da redescoberta do espanto e o ritmo encantatório do presente contínuo da infância. Espectáculo bilingue, para que não se perdesse o brilho poético, musical e rítmico do texto de Stein, constitui uma experiência fortemente sensível: emotiva, mas também estética e formal. Muito bela, portanto.

DE Gertrude Stein ENCENAÇÃO António Pires TRADUÇÃO Luísa Costa Gomes

CENOGRAFIA João Mendes Ribeiro FIGURINOS Luís Mesquita MÚSICA ORIGINALMiguel Sá Pessoa DESENHO DE LUZ Rui Seabra DIRECÇÃO MUSICAL Paulo AbelhoINTERPRETAÇÃO Carolina CampanelaCarolina SerrãoSandra SantosVera MouraPRODUÇÃO Alexandre OliveiraAna BordaloIvan Coletti

(Ar de Filmes/Teatro do Bairro)


"Turma de 95" (Teatro-Estúdio António Assunção, dias 4, 5, 10, 11 e 12, às 18h, e às 22h)

"Turma de 95" ©Bruno Simão

"Turma de 95" ©Bruno Simão

Partindo de Class of 76 (da companhia inglesa Third Angel), o espectáculo faz bastante mais do que revisitar as histórias particulares de quem integrou a referida turma de 95, documentando, através da memória de coisas aparentemente despiciendas, uma composição social que espelha o imobilismo da estrutura societal portuguesa. Retrato sociológico desassombrado de uma geração cuja frequência dos Salesianos (originalmente uma obra educativa de caridade destinada aos mais pobres) não salvou da injustiça, da depressão ou da descrença, Turma de 95 estreou em 2019 e está nomeado para os Prémios da Sociedade Portuguesa de Autores para Melhor Texto e Melhor Espectáculo desse ano.

DE Raquel Castro ENCENAÇÂO Raquel Castro APOIO À DRAMATURGIA Alexander Kelly DESENHO DE LUZ Daniel Worm INTERPRETAÇÃO Raquel CastroPRODUÇÃO
Vítor Alves Brotas – Agência 25 APOIO TÉCNICO João Gambino DIRECÇÃO TÉCNICA EM DIGRESSÃO Tiago Coelho

(Barba Azul)

"By Heart" (Cine-Teatro da Academia Almadense, dias 4, 10 e 11, às 21h30; dias 5 e 12, às 16h)

"By Heart" ©Magda Bizarro

"By Heart" ©Magda Bizarro

Eis um espectáculo de grande originalidade que demonstra a importância da transmissão, do invisível contrabando de palavras e ideias que apenas guardar um texto na memória pode oferecer. Um espectáculo sobre o esconderijo seguro que os textos proibidos sempre encontraram nos nossos cérebros e nos nossos corações – garantia de civilização, mesmo nos tempos mais bárbaros e desolados. Como diria o professor de Literatura George Steiner (1929-2020), “assim que 10 pessoas sabem um poema de cor, não há nada que a KGB, a CIA ou a Gestapo possam fazer. Esse poema vai sobreviver”.

TEXTO E ENCENAÇÂO Tiago Rodrigues COM FRAGMENTOS E CITAÇÕES DE William ShakespeareRay BradburyGeorge SteinerJoseph Brodsky, entre outros.

CENOGRAFIA, ADEREÇOS E FIGURINOS Magda Bizarro INTERPRETAÇÃO
Tiago Rodrigues DIRECÇÃO DE CENA André Pato PRODUÇÃO EXECUTIVA
Rita Forjaz PRODUÇÃO EXECUTIVA NA CRIAÇÃO ORIGINAL Magda Bizarro e
Rita Mendes

(Teatro Nacional D. Maria II)

cardapio.pt @ 3-7-2020 14:54:57


Clique aqui para ver mais sobre: Teatro